fbpx Skip to main content

PUBLICIDADE

Livro Receitas sem Glúten para Celíacos

PROTESTE encontra glúten em macarrão sem glúten

PROTESTE encontra glúten em “macarrão sem glúten”

Cerca de uma em cada 250 pessoas no Brasil é celíaca, ou seja, possui uma doença crônica e autoimune que faz com que o glúten não seja reconhecido pelo corpo como um alimento. Os sintomas podem variar, mas, em geral, incluem diarreia, prisão de ventre, anemia, sensação de estufamento, dor e desconforto abdominal.

 

PUBLICIDADE

200 Receitas sem Glúten e sem Lactose

 

Mas será que os produtos disponíveis no mercado e que trazem a informação “não contém glúten” estão mesmo dizendo a verdade?

 

A PROTESTE testou 23 produtos e o resultado obtido mostrou que um lote de um dos alimentos analisados possuía glúten, o que caracteriza uma violação à informação do rótulo e à legislação.

 

O glúten é uma mistura de proteínas encontradas no trigo, no centeio, na cevada e na aveia, que, nos celíacos, agride o intestino delgado, prejudicando a absorção de nutrientes. Por isso, a maioria dos pacientes acaba apresentando deficiências de ferro, cálcio e vitamina D, por exemplo.

 

Dieta sem Glúten

 

O único tratamento conhecido para evitar os sintomas da doença até o momento é a adesão a uma dieta totalmente sem glúten de forma permanente. Por isso, para um paciente celíaco, é tão importante consumir um produto livre dessa mistura de proteínas.

 

No entanto, o único meio de descobrir se um alimento industrializado é realmente livre dele é pela leitura do rótulo.

 

Segundo a Lei Federal n° 10.674/2003, todos os alimentos industrializados devem trazer em seu rótulo a informação sobre a presença de glúten através das inscrições “contém glúten” ou “não contém glúten”, conforme o caso.

 

PROTESTE avalia Produtos sem Glúten

 

A PROTESTE escolheu 23 alimentos que continham a informação “não contém glúten” no rótulo. Eles foram divididos em seis categorias de produtos. Veja:

 

Proteste Avaliação Alimentos sem Glúten

 

Eles foram adquiridos em lojas de produtos naturais e outras especializadas em produtos sem glúten na cidade de São Paulo.

 

Verificou-se em laboratório devidamente credenciado pelo Inmetro, por meio da detecção e da quantificação de glúten, se estavam de acordo com a informação “Não contém glúten”, presente no rótulo.

 

Apesar de o Codex Alimentarius (coletânea de padrões reconhecidos internacionalmente, códigos de conduta, orientações e outras recomendações relativas a alimentos, produção de alimentos e segurança alimentar) estabelecer que os alimentos livres de glúten devam conter valores ≤20 partes por milhão (ppm) de glúten, a legislação brasileira não determina limites para conteúdo de glúten para que os alimentos sejam considerados livres desse ingrediente.

 

Segundo a PROTESTE, no Macarrão Penne Fit Food 500g (lote A – validade: 13/09/2019), foi encontrado 27,73 ppm de glúten, na 1ª análise; 15,59 ppm e 14,57 ppm nas duas reanálises no mesmo lote, podendo oferecer risco aos consumidores celíacos. (NÃO DEIXE DE LER DEVOLUTIVA DA FIT FOOD AO FINAL DA MATÉRIA).

 

Macarrão Penne Fit Food 500g
Macarrão Penne Fit Food 500g

 

Os demais produtos não possuem glúten em quantidade detectável. O limite de detecção do método é de 5,0 ppm, ou seja, quantidades menores que essas não são identificadas.

 

Os alimentos testados foram divididos em seis categorias de produtos: macarrão, cookie integral, barra de cereal, pão, torrada e cerveja.

 

As marcas testadas foram Tivva, Urbano, Fit Food, Colavita e Barilla (macarrão penne); Nutri Cookie, Gullón, Vitalin e Good Soy (cookie integral); Harts Love, Flormel, Trio, Natural Life e Agtal (barra de cereal); Grani Amici e Équilibri (pão); Sabor Vital, Fred, Aminna e Schär (torrada) e Tássila, Germânia e Wienbier 55 (cerveja).

 

Metodologia Adotada pela PROTESTE

 

A PROTESTE ressalta que os testes foram realizados por laboratório devidamente acreditado junto ao Inmetro e que foi utilizado o método ELISA (Enzime-inked immunosorbent assay) para a quantificação do glúten por ser uma técnica recomendada pelo Codex Alimentarius (Padrão Alimentar Internacional).

 

 

O que diz a Anvisa

 

No Brasil, embora a legislação sobre alergênicos não garanta a veracidade entre a rotulagem de alergênicos e a informação sobre a presença do glúten, a Anvisa apontou qual a interpretação que melhor se adequa às normas que protegem os direitos dos consumidores: havendo a inclusão de advertência sobre a possibilidade de um alimento conter cereal com glúten, o rótulo deve incluir a advertência “Contém glúten”.

 

Assim, como é feito de milho, o rótulo do Macarrão Penne Fit Food não faz qualquer menção sobre a presença de trigo, centeio, cevada, aveia e suas estirpes hibridizadas em sua rotulagem.

 

Como, para os celíacos, a rotulagem é fundamental na escolha dos alimentos, não fica garantido nesse produto o direito do consumidor de ser informado e advertido claramente quanto à existência de glúten ou de substâncias alergênicas.

 

Ações da PROTESTE

 

Diante dos resultados, a PROTESTE entrou com uma ação judicial contra a empresa Fit Food, pedindo que o lote do produto analisado seja retirado do mercado. Além disso, também solicitará que a empresa ressarça os consumidores que compraram o produto.

 

Macarrão Penne Fit Food é Isento de Glúten

 

Já a Fit Food, por meio de nota à imprensa, disse que solicitou à Proteste detalhes sobre a metodologia dos testes. Afirmou ainda que segue as normas internacionais do Codex Alimentarius, como mencionamos anteriormente. Leia o comunicado logo abaixo:

 

“Macarrão Penne Fit Food é isento de glúten, informa laudo de laboratório referendado pela Anvisa

 

Na obrigação de esclarecer o resultado da análise conduzida pela Proteste – Associação Brasileira de Defesa do Consumidor – sobre o Macarrão Fit Food 500 gr., a Latinex, empresa que comercializa o produto, enviou o produto ao Laboratório Eurofins Scientific, referendado pela Anvisa e o mesmo utilizado pela Proteste, para novos testes, que indicaram glúten não detectado no alimento, ou seja, livre de glúten conforme informado na embalagem.

 

O resultado da análise era esperado pela Latinex, que importa o produto, feito 100% a partir do milho pela Sam Mills, maior fabricante de macarrão de milho do mundo e líder na Europa. O Macarrão Penne da Fit Food 500 gr. sempre apresentou análises que atendem as normas internacionais de regulação alimentar do Padrão Internacional – Codex Alimentarius.

 

O laudo e a certificação reafirmam o compromisso da Latinex com a qualidade dos produtos e a sua responsabilidade de colocar no mercado alimentos com rótulos transparentes, respeitando o direito e a saúde dos consumidores.

 

A empresa está tomando providências jurídicas para a retratação da Proteste face à divulgação irresponsável de inverdades, o que vem gerando sérios transtornos para os seus negócios, seus clientes e seus consumidores.

 

O laudo que comprova a integridade do produto e a certificação do cumprimento às exigências regulatórias seguem junto a este comunicado para assegurar a credibilidade do alimento.”

 

 

Cardápio com Receitas sem Glúten para Celíacos

 

Descubra como preparar um verdadeiro cardápio sem glúten. O livro 200 Receitas para Celíacos é essencial para a sua dieta sem glúten! Confira agora CLIQUE AQUI !

 

Fontes:

Proteste encontra traços de glúten em “macarrão sem glúten”

Teste: detectamos glúten em alimento que afirma não conter essa proteína

 

PROTESTE encontra glúten em “macarrão sem glúten”
3.7 (73.33%) 3 votes

DEIXE UM COMENTÁRIO